Início

A Viola

Afinações

Agenda

Biblioteca

Blog do Angelim

Cifras

Discografias

Encordoamento

Fogão à Lenha

Fotos

Links Interessantes

Luthieria

Mestres Poetas

Mestres Professores

O Sagrado e o Profano

Porta Aberta

Rio Abaixo

Tablaturas

Videoteca

Violas, Minhas Violas

Violeiros

Angelim

Almir Eduardo Melke Sater, nascido em Campo Grande no dia 14 de novembro de 1956, é violeiro, compositor, cantor e ator brasileiro. Seu estilo caracteriza-se pelo experimentalismo.

Foi vencedor de dois prêmios Sharp, com as canções “Moura” e “Tocando em Frente”, gravada por Maria Bethania.

Dono de um talento ímpar e versatilidade como cantor, compositor, violeiro e exímio instrumentista, cantou em Nashville - USA (1988), local considerado o berço da música country americana.

Sua música é descrita como folk brasileiro e agrega uma sonoridade tipicamente caipira da viola de 10 cordas, o folk norte-americano e com influências das culturas fronteiriças do seu estado, como a música paraguaia e andina. O resultado é único e ao mesmo tempo reflete traços populares e eruditos, despertando a atenção de públicos diversos.

O músico possui um carisma inexplicável e  sua personalidade simples faz com que continue a arrastar multidões em suas apresentações.

Além da multiplicidade de talentos, o artista é defensor do meio ambiente, sempre engajado em projetos de cunho socioambiental, estimulando à conscientização e "atitudes verdes" para a melhoria do nosso planeta, assim como a qualidade de vida dos pantaneiros.

Almir Sater obteve grande destaque como ator nas novelas Pantanal, Ana Raio e Zé Trovão, O Rei do Gado e Bicho do Mato.

Nascido em Mato Grosso do Sul, desde os doze anos já tocava viola. Aos vinte anos mudou-se para o Rio de Janeiro para estudar Direito, mas desistiu da carreira de advogado, tornando-se um músico, motivado incialmente por escutar no Largo do Machado uma dupla tocando viola caipira . Então dedicou-se ao seu estudo, tendo Tião Carreiro como mestre.

Retornou à Campo Grande onde formou a dupla “Lupe e Lampião” com um amigo, adotando Lupe como nome artístico.

Em 1979 foi para São Paulo, onde iniciou um trabalho com sua conterrânea Tetê Espíndola, acompanhando também a cantora Diana Pequeno.

Gravou seu primeiro disco em 1980, contando com a participação de Tetê Espíndola, Alzira Espíndola e Paulo Simões. Fez parte da geração Prata da Casa, no início dos anos 80, sendo uma das principais atrações do movimento que juntou os maiores expoentes da música sul-mato-grossense.

Juntamente com o parceiro Paulo Simões, com o maestro e violinista Zé Gomes, o jornalista, crítico e pesquisador Zuza Homem de Mello e do fotógrafo Raimundo Alves Filho, iniciou uma comitiva que explorou o Pantanal, realizando registros fotográficos, pesquisando o modo de vida dos pantaneiros enquanto percorriam o Paiaguás, Nhecolândia, Piquiri, São Lourenço e Abobral. Esse projeto resultou em um documentário co-produzido por Almir Sater e Paulo Simões.

 

 

 

 

Fonte: Wikipedia 

 

 

 

 

Clique aqui e confira a discografia do artista.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conheça o livro

Roda de Viola

Armazém do

Angelim

Produção