Início

A Viola

Afinações

Agenda

Biblioteca

Blog do Angelim

Cifras

Discografias

Encordoamento

Fogão à Lenha

Fotos

Links Interessantes

Luthieria

Mestres Poetas

Mestres Professores

O Sagrado e o Profano

Porta Aberta

Rio Abaixo

Tablaturas

Videoteca

Violas, Minhas Violas

Violeiros

O sono das águas

.

Há uma hora certa,

no meio da noite, uma hora morta,

em que a água dorme.

 

Todas as águas dormem:

no rio, na lagoa,

no açude, no brejão, nos olhos d’água,

nos grotões fundos

E quem ficar acordado,

na barranca, a noite inteira,

há de ouvir a cachoeira

parar a queda e o choro,

que a água foi dormir…

 

Águas claras, barrentas, sonolentas,

todas vão cochilar.

Dormem gotas, caudais, seivas das plantas,

fios brancos, torrentes.

O orvalho sonha

nas placas da folhagem

e adormece.

Até a água fervida,

nos copos de cabeceira dos agonizantes…

 

Mas nem todas dormem, nessa hora

de torpor líquido e inocente.

Muitos hão de estar vigiando,

e chorando, a noite toda,

porque a água dos olhos

nunca tem sono…

 

 

Consciência Cósmica

.

Já não preciso de rir.

Os dedos longos do medo

largaram minha fronte.

E as vagas do sofrimento me arrastaram

para o centro do remoinho da grande força,

que agora flui, feroz, dentro e fora de mim...

 

Já não tenho medo de escalar os cimos

onde o ar limpo e fino pesa para fora,

e nem deixar escorrer a força de dos meus músculos,

e deitar-me na lama, o pensamento opiado...

 

Deixo que o inevitável dance, ao meu redor,

a dança das espadas de todos os momentos.

e deveria rir , se me retasse o riso,

das tormentas que poupam as furnas da minha alma,

dos desastres que erraram o alvo do meu corpo...

 

 

O mundo é mágico.

As pessoas não morrem,

ficam encantadas

 

 

“Diadorim deixou de ser nome e virou sentimento meu”

 

 

Amigo, pra mim, é só isso:

a pessoa com quem a gente gosta de conversar,

do igual o igual, desarmado.

O de que um tira prazer de estar próximo.

Só isso, quase; e os todos sacrifícios.

Ou amigo é que a gente seja,

mas sem precisar de saber o por quê é que é.”

 

 

“Vingança é lamber frio o que alguém cozinhou quente demais.”

 

 

Mestre não é aquele que tudo ensina, mas o que de repente aprende

 

 

“Melhor é trabalhar no domingo que roubar na segunda”

 

 

O mais importante e bonito do mundo é isso: as pessoas não são sempre iguais... Não foram terminadas... Afinam ou desafinam... verdade maior que a vida nos ensinou”

 

 

“"Só aos poucos é que o escuro fica claro”

 

 

Minas, são muitas. Porém, poucos são aqueles que conhecem as mil faces das Gerais

 

 

“A gente troca de sombra, por volta dos quarenta, quando alma e corpo revezam o jeito de se compenetrar”

 

 

A gente morre é pra provar que viveu

 

 

“O melhor do homem é que ele não veio pronto. Necessita acabamento.”

 

 

O correr da vida embrulha tudo.

A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa,

sossega e depois desinquieta.

O que ela quer da gente é coragem.”

 

 

“Amar é reconhecer-se incompleto”

 

 

Viver... bom, viver o senhor já sabe: viver é etcétera...”

 

 

 

 

 

Angelim

Conheça o livro

Roda de Viola

Armazém do

Angelim

Produção